ADVERTISEMENT

O que é Ethereum Classic (ETC)? DAO-Hack, Comparação com ETH & Roadmap

A Ethereum Classic é um hard fork de Ethereum que teve aconteceu no verão de 2016 após o hack DAO. Assim, a Ethereum Classic partilha muitas semelhanças com a Ethereum. Mas onde estão as diferenças e como surgiu o infame Ethereum Classic Hard Fork? Para explicar melhor o que é a Ethereum Classic, vamos dar uma olhada na história e mostrar o que foi a DAO e quais foram as consequências do hack.

A DAO (Decentralized Autonomous Organization)

A Rede Ethereum entrou em funcionamento com a Fronteira no dia 30 de julho de 2015. Pouco depois, em março de 2016, seguiu-se a versão Homestead. Ambas as versões da Ethereum permitiram que os desenvolvedores criassem contratos inteligentes e os executassem no blockchain da Ethereum.

A DAO começou no dia 30 de abril de 2016 com a publicação do seu site e um crowdsale de 28 dias. A DAO era um fundo de capital de risco descentralizado criado para revolucionar a forma como o capital de risco é distribuído. A DAO era praticamente uma empresa de capital de risco sem que uma administração ou conselho de administração tradicional decidisse quais os projectos a apoiar.

Em vez disso, os investidores puderam comprar fichas DAO ao juntar a moeda crowdsale e, assim, adquirir um direito de voto quando se tratava de decisões de investimento para projetos. O fundo poderia ter financiado todas as novas aplicações descentralizadas que teriam sido desenvolvidas na blockchain Ethereum.

O Crowdsale foi um sucesso completo. Em 28 dias, o projeto DAO foi capaz de coletar uma quantia lendária de 11,5 milhões de éter (cerca de 150 milhões de dólares americanos). O maior investidor individual detinha menos de 4% de todas as fichas DAO, por isso não houve centralização em uma pessoa.

O Hack DAO

No entanto, o projeto hipodético e promissor falhou pouco depois do seu lançamento. Em 17 de junho de 2016, o DAO foi hackeado por uma combinação de vulnerabilidades. O hacker explorou uma vulnerabilidade no código do programa DAO (não no protocolo Ethereum) que tinha se tornado pública um mês antes. O hacker roubou cerca de 3,6 milhões de éteres (cerca de 50 milhões de dólares americanos).

A DAO foi então fechada. Muitos investidores quase perderam todo o seu investimento. O preço da Ethereum caiu de $20 para $13 devido às más notícias. Para recuperar a confiança dos investidores, a comunidade da Ethereum teve de tomar uma decisão difícil. Ou os desenvolvedores seguiriam o padrão “Code is law”, que não reverteria o hack de 3,6 milhões de ethers. Por outro lado, foi possível executar um hard fork e invalidar a parte “antiga” da blockchain do hacker. A equipe central de desenvolvimento da Ethereum, voltando para o Vitalik Buterin, decidiu, após longas discussões, por um hard fork. Assim, os ethers roubados puderam ser devolvidos aos donos.

No entanto, a decisão também foi alvo de duras críticas no seio da comunidade Ethereum. De acordo com o padrão “Code is law“, a ideia de um hard fork foi percebida como antiética por alguns membros. Afinal, tudo o que acontece na blockchain deve ser imutável.

Mas finalmente o Hard Fork foi implementado. A “velha” Blockchain tornou-se Ethereum Classic. Cerca de 90 por cento da nova blockchain Ethereum seguiu-se. No entanto, pelo menos 10% dos mineradores aderiram ao Ethereum Classic.

O que é a Ethereum Classic?

A Ethereum Classic (ETC) é, portanto, uma blockchain de código aberto que é largamente baseada no protocolo Ethereum de hoje. A Ethereum Classic tem assim as mesmas funcionalidades (Contratos Inteligentes, Apps descentralizadas) que a Ethereum. A Ethereum Classic (ETC) é o token oficial da blockchain para pagar as taxas de transação ou usuários de serviços.

Comparação: Ethereum vs. Ethereum Classic

No entanto, existem também diferenças entre a ETH e a ETC. Enquanto a Ethereum não tem um hardcap, a ECIP 1017 (Ethereum Classic Improvement Proposal 1017) fixou o montante total de Ethereum Classic em ETC 210 milhões. Devido às flutuações na taxa de compensação da CTE, a comunidade de criadores da CTE prevê uma oferta total máxima que não excederá 230 milhões de CTE.

Outra diferença é a Recompensa da Mineração. A recompensa base foi redefinida com a nova política monetária em fevereiro de 2018 e tem sido dependente do número de blocos desde então. A cada cinco milhões de blocos (aprox. 2,4 anos), a recompensa base diminui 20%. Originalmente era 5 ETC. No bloco número 5.000.000, a “Recompensa Base” foi alterada para 4 ETC. Espera-se que caia para 3,2 ETC para o bloco número 10.000.000 em Abril de 2020.

Além disso, tal como com a Ethereum, existe a “Uncle-Reward“. Isto depende do número de blocos tio contidos e equivale a mais de 3,125% da recompensa básica (atualmente: 0,125 ETC). A partir de Abril de 2020, a “Uncle-Reward” será fixada em 0,1 ETC.

Outra diferença é que a Ethereum planeja mudar de prova de trabalho para prova de tomada (com a Casper). A Ethereum Classic, por outro lado, ainda não declarou sua intenção de mudar para a prova de admissão e, portanto, também será de interesse de longo prazo para os mineradores da ETH.

No final, a Ethereum tem sido mais bem sucedida do que a ETC depois do hack da DAO. A Ethereum tornou-se praticamente o padrão para ICOs e desenvolvimentos do dApp, enquanto a Ethereum Classic só pode hospedar muito poucas ICOs.

Roadmap da Ethereum Classic

No entanto, a Ethereum Classic tem um futuro promissor. Em setembro de 2018, a Ethereum Classic (ETC) anunciou o lançamento de seu Software Development Kit (SDK) para o desenvolvimento de aplicativos distribuídos (dApps). Callisto, uma blockchain separada que também serve como sidechain para Ethereum Classic, também foi lançada em 2018. Em 2019, a escalabilidade da Ethereum Classic será aumentada para mais de 1.000 transações por segundo.

Ethereum classic roadmap

Source: https://www.etcdevteam.com/roadmap

About Author

Jake Simmons

Jake Simmons tem sido um entusiasta de criptomonedas desde 2016, e desde que ouviu falar sobre Bitcoin e tecnologia blockchain, ele tem estado envolvido com o assunto todos os dias. Além das criptomoedas, Jake estudou ciência da computação e trabalhou por 2 anos para uma startup no setor de blockchain. Na CNF ele é responsável pelas questões técnicas. Seu objetivo é tornar o mundo consciente das moedas criptográficas de uma forma simples e compreensível.

Os comentários estão encerrados.

Libertex ribbon

Suivez nous sur la Lune!

Send this to a friend