ADVERTISEMENT

O que é a Cosmos Network e quais são os benefícios do Token ATOM? Guia Completo

O que é Cosmos (ATOM)?

O Cosmos (ATOM) é um ecossistema descentralizado de blockchains independentes projetado para criar a próxima geração de Internet de Blockchains. Quase todos os projectos de criptografia desenvolvem a sua própria blockchain. Não importa se Bitcoin, Ethereum ou Rippleas diferentes tecnologias geralmente não são compatíveis entre si.

Conselho:
Para entender a visão do Cosmos, é essencial entender a tecnologia blockchain. Você pode encontrar um guia detalhado da Blockchain neste artigo (clique!).

Em vez de continuar essa tendência, o Cosmos pretende conectar todos os projetos Blockchain e desenvolver uma Internet de Blockchains (IoB). As diferentes cadeias de bloqueio permanecem independentes umas das outras, mas mantêm a possibilidade de comunicação e de intercâmbio, por exemplo, de dados e moedas. Para alcançar a interoperabilidade, o Cosmos (ATOM) utiliza um algoritmo de consenso Bizantino de Tolerância a Falhas (BFT).

Como se isso não bastasse, a Cosmos quer continuar resolvendo os seguintes problemas de tecnologia de blockchain:

  1. Escalabilidade: Embora já existam os primeiros blockchains que podem alcançar alta escalabilidade, ou seja, processar um grande número de transações por segundo, este ainda é um grande desafio técnico. A Blockchain Ethereum pode atualmente (a partir de agosto de 2019) processar apenas até 15 transações por segundo.
  2. Facilidade de utilização: Para os desenvolvedores é relativamente complicado quando se trata de programar aplicações na blockchain. Entre outras coisas, eles são limitados a algumas linguagens de programação e não podem implementar a execução automática de código.
  3. Soberania: Cada aplicação é limitada na sua soberania. As aplicações dependem do ambiente (por exemplo, a Blockchain Ethereum). Por exemplo, se houver um bug na aplicação, nada pode ser feito sobre ele sem governança (um bom exemplo é o bug da carteira de paridade no final de 2017) na rede Ethereum. Se o aplicativo requer um novo recurso na Máquina Virtual Ethereum, o aplicativo dependerá da governança da plataforma Ethereum.

A Cosmos tem as seguintes soluções para os problemas descritos acima:

  • O Cosmos permite que as aplicações blockchain sejam escalonadas para milhões de usuários através de soluções de escalabilidade horizontal e vertical.
  • O Cosmos faz blockchains com o Tendermint BFT e a modularidade do Cosmos SDK poderoso e fácil de desenvolver.
  • O Cosmos permite que as blockchains comuniquem valores via IBC e zonas de indexação, mantendo sua soberania.

É assim que a tecnologia Cosmos funciona em detalhe

A tecnologia de código aberto do Cosmos baseia-se essencialmente em três componentes principais: o algoritmo Tendermint Byzantine Fault Tolerance (BFT), o Cosmos Software Development Kit (SDK) e o protocolo Inter-Blockchain Communications (IBC). Juntos, eles representam três componentes principais do ecossistema do Cosmos (ATOM).

Tendermint BFT

O Tendermint Core é um mecanismo de consenso Byzantine Fault Tolerance (BFT) que agrupa as camadas de rede e de consenso de uma blockchain em um mecanismo genérico. Isso permite que os desenvolvedores se concentrem no desenvolvimento de aplicativos sem ter que se preocupar com o complexo protocolo subjacente. O Tendermint BFT tem um tempo de bloqueio de 1 segundo e deve ser capaz de processar um volume de transações de 10.000 transações por segundo para 250 bytes.

Isto é possível graças à escala horizontal e vertical. A escala vertical inclui a escala da própria blockchain. O Tendermint BFT possibilitará milhares de transações por segundo através de várias medidas de otimização (por exemplo, a renúncia a uma prova de trabalho).

A escalabilidade horizontal ocorre além dos limites das blockchains individuais. O processamento de grandes quantidades de dados ocorre em várias cadeias de bloqueio (arquitetura multi-cadeia). A idéia é ter múltiplas blockchains paralelos correndo a mesma aplicação e operado por uma instância de controle comum. Isso torna a arquitetura blockchain teoricamente infinitamente escalável.

Cosmos SDK

Com seu Kit de Desenvolvimento de Software Cosmos, a plataforma Cosmos visa criar uma solução mais amigável e customizável para os desenvolvedores, onde eles só precisam se concentrar no desenvolvimento das aplicações e não nas camadas abaixo. Com o SDK Cosmos quer reduzir o tempo de desenvolvimento de uma blockchain de anos para semanas.

O SDK baseia-se em dois princípios fundamentais: Modularidade e segurança baseada em desempenho. Modularidade significa que o objetivo do SDK do Cosmos é criar um ecossistema de módulos que permita aos desenvolvedores criar facilmente blockchains específicos de aplicativos sem precisar reprogramar todas as funcionalidades a partir do zero.

Segurança baseada em desempenho significa a capacidade de limitar as fronteiras de segurança entre os módulos para que os desenvolvedores possam limitar interações inesperadas (prejudiciais).

Protocolo de Comunicação Interligação em Cadeia

O terceiro componente é o protocolo de comunicações entre cadeias (IBC), que permite a comunicação entre todas as cadeias de bloqueio individuais. O IBC usa o recurso de finalidade instantânea do Consenso de Tendermint para permitir que blockchains heterogêneos transfiram tokens e dados entre si. No entanto, para serem compatíveis com o IBC, as blockchains devem atender a um requisito importante. O algoritmo de consenso deve ter uma finalidade rápida.

Finalidade rápida - Correntes de bloqueio

Em princípio, todas as blockchains são compatíveis com os IBCs, cujo método de consenso utiliza uma finalidade rápida. No entanto, essa é uma característica que muitos projetos de blockchain não preenchem. Por exemplo, todas as moedas criptográficas que usam uma prova de consenso de trabalho (por exemplo, Bitcoin, Litecoin, Dogecoin) não se enquadram nesta categoria.

Têm apenas uma finalidade probabilística. Somente quando o Ethereum, por exemplo, mudar para o Casper FFG (Proof-of-Stake), uma conexão direta entre a Blockchain Ethereum e o ecossistema Cosmos seria possível.

Blockchains probabilísticos

Para blockchains que não têm finalidade rápida, no entanto, há uma solução mais complexa. Isto cria um tipo especial de cadeia de proxy chamado “zona de peg”. Uma zona de indexação é uma blockchain que rastreia o estado das outras blockchains e tem uma finalidade rápida para que seja compatível com o IBC.

cosmos peg ethereum

Source: httpss://cosmos.network/assets

Essas duas soluções permitem que não apenas as blockchains baseadas em Tendermint-interagam entre si, mas também qualquer tipo de blockchain. Outro problema é a escalabilidade, porque o número de conexões na rede cresce exponencialmente com o número de blockchains. Para resolver isso, o Cosmos propõe uma arquitetura modular com duas classes de blockchains: “hubs” e “zonas”.

“Hubs” e “Zones”

Um hub é uma blockchain cuja finalidade é conectar “zonas” entre si. “Zonas“, por outro lado, são blockchains específicos da aplicação na rede Cosmos (por exemplo, Ethereum ou Bitcoin) que podem comunicar entre si. Isso geralmente funciona conectando-se a hubs através do protocolo IBC. Quando uma zona estabelece uma conexão IBC com um hub, ela pode acessar automaticamente qualquer outra zona conectada a ela. Como resultado, cada zona precisa apenas estabelecer um número limitado de conexões com um conjunto limitado de hubs.

Os hubs também evitam a duplicação de gastos entre zonas. Assim, os hubs atuam como as principais fontes de “confiança” entre as blockchains, em vez de forçar as blockchains a um consenso comum, passando pelo mesmo mecanismo de consenso que os tokens para transmissão. Isso significa que quando uma zona recebe um token de um hub, ela só deve confiar na “zona de origem” desse token e do hub. Além disso, cada blockchain pode selecionar e operar seu próprio modelo de governança (prova de trabalho, prova de participação, prova de participação delegada, DBFT, …).

Isso cria uma série de zonas e hubs interconectados que operam independentemente, mas compartilham uma arquitetura de sistema comum. Este é um princípio básico do Cosmos (ATOM) para o intercâmbio de tokens, dados e ativos digitais entre diferentes cadeias de bloqueio.

cosmos zones

Source: httpss://cosmos.network/assets

O primeiro hub lançado na rede Cosmos é o Cosmos Hub. Este é um blockchain público de prova de aprovação que usa o algoritmo Tendermint e cujo token nativo é ATOM. O Cosmos Hub serve como o centro central da rede e mantém as blockchains independentes juntas sob o mesmo teto.

O Token Cosmos (ATOM)

O Cosmos tem uma oferta total de 237.928.231 ATOM, dos quais aproximadamente 190 milhões estão em circulação (em agosto de 2019).

Durante a Oferta Inicial de Moedas (ICO) da Cosmos (ATOM) em 6 de abril de 2019, 168.475.963 ATOM foram liberados e renderam à empresa por trás da Cosmos (ALL IN BITS, Inc.) $17,3 milhões em receitas. Cerca de 75 por cento das fichas ATOM emitidas foram vendidas através da Oferta Inicial de Moedas. As demais ações foram detidas por investidores em sementes (5%), pela Cosmos Network Foundation (10%) e pela ALL IN BITS Inc (10%).

O preço da OIC era de USD 0,10, com um desconto de 25% para os investidores em sementes. Houve também um desconto de 15% para pré-capitalizadores. ATOM atingiu o seu máximo histórico em 16 de março de 2019, a 8,31 dólares americanos, como você pode ver na nossa visão geral do curso Cosmos (ATOM).

ATOM é oferecido em uma variedade de trocas de moedas criptográficas, incluindo Binance, Bitpanda, Huobi Global, Kraken, Bibox e OKEx. Os pares de negociação incluem BTC, ETH, USDT e moedas fiduciárias como EUR e KRW.

Parcerias

O Cosmos já tem alguns projetos desenvolvidos com o Cosmos SDK. O projeto mais proeminente é o Binance Decentralized Exchange (DEX), que é baseado em um garfo da Tendermint e no Cosmos SDK. Binance DEX usa uma versão revisada do Tendermint Consensus e lógica de rede peer-to-peer, bem como várias funções do Cosmos SDK. Outros parceiros incluem

  • OmiseGo
  • FOAM
  • Oracle International Corporation
  • IRIS
  • DATA Chain
  • Loom Network
  • ThetaToken

Conclusão: A Cosmos worth é um investimento?

Cosmos é um projeto muito ambicioso que visa construir uma internet de blockchains. Para isso, o Cosmos quer criar um ecossistema que permita a interação e a compatibilidade de blockchains que ainda não são compatíveis. No entanto, existem muitos outros projetos no espaço criptográfico que perseguem exatamente esse objetivo e só desenvolveram outras tecnologias.

Os concorrentes mais conhecidos são Cardano, Komodo, Wanchain, Aion, Ark e Polkadot. Alguns dos projetos têm tentado resolver o problema da interoperabilidade entre blockchains por algum tempo. Nesta fase, é difícil dizer qual o projecto que acabará por prevalecer. O factor de decisão decisivo será certamente a aceitação e divulgação através de “Casos de Utilização no Mundo Real”.

Se estiver interessado em comprar o token ATOM, recomendamos que leia o nosso guia de Cosmos – como comprar ATOM.

[ratings]

About Author

Jake Simmons

Jake Simmons tem sido um entusiasta de criptomonedas desde 2016, e desde que ouviu falar sobre Bitcoin e tecnologia blockchain, ele tem estado envolvido com o assunto todos os dias. Além das criptomoedas, Jake estudou ciência da computação e trabalhou por 2 anos para uma startup no setor de blockchain. Na CNF ele é responsável pelas questões técnicas. Seu objetivo é tornar o mundo consciente das moedas criptográficas de uma forma simples e compreensível.

Os comentários estão encerrados.