Ethereum, Enjin e Microsoft lançam programa de recompensa baseado em blockchain

  • Em cooperação com o projeto Enjin (ENJ), a Microsoft desenvolveu um programa de recompensa baseado em blockchain para o Microsoft Azure no blockchain Ethereum.
  • Os membros da comunidade Azure podem ganhar colecionáveis digitais, texugos tokenizados, participando do espaço do código aberto do Azure.

Como mostra o mais recente projeto da Microsoft, o líder mundial continua a confiar no Ethereum para desenvolver soluções de blockchain. O membro da Ethereum Enterprise Alliance (EEA), em colaboração com a Ethereum-based Enjin (ENJ), lançou um projeto baseado em blockchain.

Microsoft lançou o “Azure Heroes” para inspirar as pessoas a aprender, treinar e recompensar os colaboradores da plataforma de computação em nuvem de código aberto da Azure. O projeto visa recompensar indivíduos por ações verificáveis, como a criação de demos, código de amostra ou blogs sobre o Azure.

Como recompensa, os membros da comunidade podem receber colecionáveis digitais, texugos tokenizados, de cinco categorias diferentes (Inclusive Leader, Content Hero, Community Hero, Mentor, Maker). Os colecionáveis digitais são de diferentes raridades. Um “Content Hero”, por exemplo, só está disponível 250 vezes, enquanto o texugo “Maker” está disponível 10.000 vezes.

microsoft ethereum enjin

Source: https://www.microsoft.com/en-ie/azureheroes/

Como Microsoft anunciou, vai oferecer Azure Heroes em “selecionados países da Europa Ocidental”. Para isso,  Microsoft usa o Ethereum Blockchain para permitir a saída e as transações dos texugos tokenizados. A propriedade do item de colecionador digital é realizada na forma de um token não-fungível (NFT). Assim, os usuários precisam de uma carteira Ethereum para armazenar a NFT. Depois de receber o texugo na carteira, o proprietário pode enviar o token para qualquer endereço Ethereum público.

No total, a Microsoft criou aproximadamente 12.000 tokens de “texugo digital” não fungíveis baseados no padrão de token ERC-1155 Ethereum. De acordo com a Microsoft, a cada temporada novos texugos devem ser gravados em relevo e distribuídos em quantidades comprovadamente limitadas.

A parceria Microsoft-Enjin (ENJ)

Embora a Microsoft use o Ethereum Blockchain para implementar o projeto, a empresa de Seattle trabalhou com a Enjin para implementar o projeto piloto. O padrão de token ERC-1155 Ethereum usado foi originalmente proposto pelo co-fundador da Enjin, Witek Radomski.

A Microsoft justificou a sua escolha para a norma ERC-1155 da seguinte forma:

As NFTs são ideais para a cunhagem e emissão de crachás que têm um conjunto único de parâmetros. Nós escolhemos usar o token ERC1155 que tem propriedades únicas que permitem que seus metadados sejam modificados ao longo do tempo e é o novo padrão aceito para a cunhagem de ativos fungíveis e não fungíveis na plataforma pública Ethereum.

Pouco depois que a Microsoft anunciou o programa, o preço do Enjin (ENJ) explodiu e subiu mais de 48% (no momento em que escrevemos) para cerca de US$ 0,1001 nas últimas 24 horas. No entanto, o preço do Ethereum não mostrou sinais de estar impressionado com as notícias e apenas registou um pequeno aumento de cerca de 1 por cento para cerca de 149 dólares.

Microsoft confia na blockchain

A Microsoft é muito ativa no campo da tecnologia blockchain. Assim, a Microsoft já entrou em cooperações com a NEO, Hyperledger e Truffle. Além disso, a Microsoft está desenvolvendo o projeto ION (Identity Overlay Network), que é uma rede de identificação descentralizada, baseada em sidetreebased, baseada na blockchain Bitcoin. Mas a maioria dos projetos são baseados na blockchain Ethereum.

Como membro da Ethereum Enterprise Alliance, a Microsoft também lidera a Token Taxonomy Initiative, a estrutura de token projetada para preencher a lacuna entre desenvolvedores de blockchain, executivos da indústria e autoridades legais e regulatórias.

Siga-nos no Facebook e Twitter e não perca mais nenhuma notícia quente! Gosta dos nossos índices de preços?

About Author

Jake Simmons tem sido um entusiasta de criptomonedas desde 2016, e desde que ouviu falar sobre Bitcoin e tecnologia blockchain, ele tem estado envolvido com o assunto todos os dias. Além das criptomoedas, Jake estudou ciência da computação e trabalhou por 2 anos para uma startup no setor de blockchain. Na CNF ele é responsável pelas questões técnicas. Seu objetivo é tornar o mundo consciente das moedas criptográficas de uma forma simples e compreensível.

Os comentários estão encerrados.